fbpx
trabalhador conectado

Por John Klaess

Nos últimos anos, analistas previram o aumento do número de "trabalhadores conectados".

Acontece que as previsões se tornaram realidade e o trabalhador conectado já está é realidade.

A seguir, veja o que você precisa saber sobre o trabalhador conectado na manufatura atual.

O que é o trabalhador conectado?

O trabalhador conectado é qualquer trabalhador cujas tarefas são monitoradas e suportadas por uma rede maior de ferramentas digitais. Esse tipo de conexão pode ser obtido de várias maneiras e pode variar desde simples mecanismos de comunicação a plataformas de aplicativos.

Os trabalhadores conectados são integrados ao seu ambiente, capacitados através de informações e apoiados por sistemas de manufatura digital

O trabalhador conectado está revolucionando muitos ramos de atividade. No entanto, ele é particularmente relevante na manufatura, onde sistemas industriais complexos e processos baseados em papel tornaram o trabalho cada vez mais desafiador.

Os trabalhadores conectados são:

  1. Integrados ao seu ambiente
  2. Capacitados através de informação em tempo real
  3. Apoiados por seus sistemas de trabalho

Benefícios dos trabalhadores conectados

Há muitos motivos para conectar os trabalhadores. Alguns dos mais benéficos incluem:

  • Trabalhadores mais seguros
  • Melhores decisões em um dado momento
  • Melhor visibilidade do trabalho da linha de frente
  • Informações essenciais e trabalho padronizado ao seu alcance
  • Comunicações em tempo real
  • Robustez à prova de erros
  • Sistemas de manufatura colaborativos mais eficientes
  • Dados do processo de ponta a ponta

Finalmente, os trabalhadores conectados e apoiados por seus sistemas de trabalho têm maior probabilidade de serem envolvidos e de ficarem saudáveis no local de trabalho, onde quer que ele seja.

[Confira o nosso webinar sob demanda para ver como a tecnologia está potencializando os trabalhadores na indústria 4.0, transformando-os em trabalhadores conectados]

Tipos de trabalhadores conectados

A expressão "trabalhador conectado" é frequentemente usada como uma descrição geral para detalhar diferentes tipos de trabalho conectado. A seguir está uma descrição por função.

Operadores conectados

Na manufatura desconectada, geralmente os operadores não são "conectados" aos seus sistemas.

Com isso, queremos dizer que eles devem executar tarefas incrivelmente complexas, tendo como suporte pouco mais do que SOPs (procedimento operacional padrão) em papel. Embora eles levem um smartphone no bolso, seus fluxos de trabalho no chão de fábrica não são conectados através de uma rede digital.

Os operadores conectados são totalmente integrados em seus fluxos de trabalho. Com a IIoT, sensores inteligentes e aplicativos de fabricação, eles agora têm uma infraestrutura conectada que os habilita a lidar com a complexidade de seu trabalho.

Trabalhadores de campo conectados

Geralmente, os técnicos de campo são desconectados por um motivo diferente: a distância. Como resultado, as empresas das indústrias de processo, OEMs e as equipes de suporte de campo criaram maneiras de conectar seus funcionários remotos a sistemas de informações e de suporte centralizados.

Engenheiros conectados

Se os operadores conectados funcionam nos sistemas de fabricação digital, os engenheiros conectados configuram os fluxos de trabalho digitais. As plataformas IIoT permitem que os engenheiros criem novas conexões entre as partes constituintes de um processo de manufatura. Portanto, em vez de terceirizar o desenvolvimento de aplicativos para a TI ou para um consultor, os engenheiros podem projetar novos processos conectados que permitam o atingimento de suas metas.

Executivos conectados

Frequentemente, nós visualizamos o trabalhador conectado como um funcionário da linha de frente − alguém no campo ou no chão de fábrica. Mas, por definição, a “conexão” une dois pontos. As novas plataformas também transformam os executivos conectados em trabalhadores.

Elas fazem isso conectando-os às operações na fábrica e no campo. Com uma visibilidade sem precedentes das atividades diárias de sua força de trabalho, a gerência pode refinar suas estratégias e alocar recursos onde eles forem necessários.

Por que o trabalhador conectado é importante agora?

O fato é que o trabalho de manufatura mudou nos últimos 10 anos. Operadores e engenheiros devem fazer mais trabalho, bem como realizar tarefas significativamente mais complexas do que nunca.

A grande maioria dos erros nas fábricas ocorre em processos centrados nos seres humanos. É por isso que a manufatura precisa do trabalhador conectado agora.

Dito isto, as operações de manufatura não mudaram tanto assim. Podemos pedir uma carona por aplicativo para ir ao trabalho quando o carro está na oficina, mas depois tomamos os dados da manufatura usando lápis e papel.

Consequentemente, os seres humanos são responsáveis por até 80% dos erros cometidos nas manufaturas.

O erro humano é um sintoma de projeto de sistema. O trabalhador conectado pode ajudar.

Mas vamos colocar pressão sobre esse número impressionante − 80%. Se você realmente olhar para as principais causas disto, vai verificar que a maioria desses erros é totalmente evitável. Eles são o resultado de sistemas que praticamente garantem que os seres humanos cometerão erros.

As tecnologias conectivas podem capacitar os trabalhadores a ir mais longe e fazer mais, criando sistemas de trabalho que são feitos para os seres humanos, e não o contrário.

O que é uma plataforma de trabalho conectada?

Quando se tratar disto, as plataformas de trabalho conectadas são ferramentas dinâmicas para criar a conectividade que é importante para sua força de trabalho.

Aqui, é importante saber o que as plataformas fazem.

As plataformas são sistemas para conectar processos industriais de linha de frente a sistemas de informações de back-end. Elas incluem hardware e software e permitem que as empresas desenvolvam novos aplicativos.

Uma Plataforma de Trabalhador Conectado é simplesmente uma Plataforma de manufatura ou IIoT, projetada tendo em mente os seres humanos. Isso é diferente das plataformas centradas em ativos, voltadas mais para a extração de informações das máquinas.

Portanto, sejam instruções digitais de trabalho, visibilidade do processo, treinamento ou aplicativos de comunicação de campo, as plataformas de trabalho conectadas devem apoiar o ativo mais importante da manufatura: a força de trabalho.

Conclusões

Faz sentido fechar esta visão geral do trabalhador conectado com algumas perguntas simples.

  • Você se sente conectado aos seus sistemas de manufatura e aos sistemas corporativos da empresa?
  • Quanto papel você usa no dia a dia?
  • O que você ou sua força de trabalho podem fazer com as ferramentas certas?

Se você responder:

  • Não.
  • Muito.
  • Mais do estamos fazendo afora...

você deve pensar no que uma plataforma de trabalho conectada poderia fazer por você. Se você quiser saber mais sobre isto, veja 7 perguntas a fazer antes de comprar uma plataforma IIoT.

Se você tiver quaisquer perguntas sobre o que as tecnologias conectivas poderão fazer por você, entre em contato conosco. Nós estamos aqui para ajuda-lo.

Fonte: Tulip

E-BOOK

Augmented Worker

Potencializando as Pessoas na Indústria 4.0

Este guia apresentará o aprimoramento da manufatura – as novas tecnologias, seus casos de uso e seus princípios. Definiremos o que significa extensão no contexto da manufatura, explicaremos por que a manufatura precisa ser aprimorada agora e avaliaremos as diferentes tecnologias e aplicações que estão ampliando a atividade dos trabalhadores no chão de fábrica, no cenário atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *