fbpx
sistema de empurrar versus um sistema de puxar

Por Jenna Koo

Em uma cadeia de suprimentos baseada em empurrar, os produtos são empurrados através do canal da produção até os varejistas. Isso significa que a produção ocorre com base na previsão de demanda.

Em uma cadeia de suprimentos baseada em puxar, aquisição, produção e distribuição são orientadas pela demanda, e não baseadas em previsões. Os bens são produzidos na quantidade e no tempo necessários.

Limitações para o WIP

Se uma empresa limitar explicitamente seu trabalho em andamento (Work in Progress ou WIP), ela estará usando um sistema de puxar. Caso contrário, ela estará usando um sistema de empurrar.

O que isso significa é que um sistema de puxar iniciará a produção apenas se o limite de WIP não for atingido. Se houver espaço disponível para que mais WIP aconteça, um novo pedido poderá ser liberado. No entanto, em um sistema de empurrar, todo o WIP permitido já estaria na fila.

Diferenças entre empurrar e puxar

sistema de empurrar versus um sistema de puxar

Sistema de empurrar – Sem dependência da demanda nem limites do WiP

Uma empresa que usa o sistema de empurrar irá prever a demanda e empregar o processo de Planejamento de Requisitos de Materiais (MRP) para produzir bens e serviços com antecedência. Isso está relacionado ao conceito “Just-in-Case” (por via das dúvidas).

Essa previsão pode nem sempre ser necessária e exigirá grandes estoques, mas continuará a ser uma estratégia útil para produtos que tendem a ter muito trabalho em andamento (WIP) ou longos prazos de entrega.

O sistema de puxar é particularmente útil para produtos com baixa incerteza de demanda, ou com alta importância de economias de escala para a redução de custos.

Exemplo

O Planejamento de Requisitos de Materiais (MRP) acima mencionado é um sistema de puxar, já que não há limitações de WIPs anteriores. As mercadorias são produzidas de acordo com a programação mestre da produção, independentemente da situação atual.

Sistema de puxar – Dependente da demanda e limitações do WiP

O sistema de puxar é um método de manufatura enxuta, que usa a estratégia “Just-in-Time” (bem na hora certa) de não produzir mercadorias até que o pedido seja recebido. Em vez de prever a demanda, o sistema de puxar produz "conforme for necessário".

Isso é particularmente útil para empresas que lidam com alta incerteza de demanda, baixo mix de produtos e baixa importância das economias de escala.

Exemplo

O Kanban clássico é um sistema de puxar, pois há um número fixo de cartões disponíveis, e isso limita o WIP.

Estratégia híbrida empurrar-puxar

Tal como acontece com “Just-in-Time” versus “Just-in-Case”, empurrar versus puxar não é um caso de preto e branco. A maioria das empresas tem algum tipo de sistema híbrido dos dois, em um espectro entre as duas pontas.

A estratégia empurrar-puxar geralmente é sugerida para produtos com alta incerteza de demanda e alta importância de economias de escala.

Exemplo

A Dell faz pré-encomenda e estoca matérias-primas e componentes. No entanto, a partir desse ponto, ela não produz seus computadores até que um pedido seja realmente feito. Ela inicialmente "empurra", mas depois muda para "puxar'' no processo de produção e montagem.

Você está precisando de ajuda para readequar a sua produção depois das disrupções e desafios causados pela pandemia do Covid-19? A Konitech é uma empresa de consultoria, provedora e integradora de soluções de digitalização da manufatura, Inteligência Artificial e IOT Industrial, com mais de 15 anos de história em implementar novas tecnologias para diversos segmentos industriais, com clientes no Brasil e no Exterior. Fale conosco, podemos te ajudar!

Fonte: Tulip

E-BOOK

Augmented Worker

Potencializando as Pessoas na Indústria 4.0

Este guia apresentará o aprimoramento da manufatura – as novas tecnologias, seus casos de uso e seus princípios. Definiremos o que significa extensão no contexto da manufatura, explicaremos por que a manufatura precisa ser aprimorada agora e avaliaremos as diferentes tecnologias e aplicações que estão ampliando a atividade dos trabalhadores no chão de fábrica, no cenário atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *