fbpx
M2M

Por Jeff Kerns

A comunicação de máquina para máquina (M2M) está revolucionando a maneira como as empresas visualizam e controlam os processos industriais.

Todavia, pode ser difícil diferenciar entre conceitos que parecem ser semelhantes, como a comunicação de máquina para máquina (M2M) e a IIoT.

Portanto, aqui vamos dar uma olhada nos fundamentos da comunicação M2M e explicar o que isto significa para você.

Definição da comunicação de máquina para máquina (M2M)

A comunicação M2M é a comunicação entre dois dispositivos ou máquinas. Está tudo no nome. Em nossas vidas pessoais, isso pode ser um rastreador de fitness, que “fala” com um telefone celular, ou um sensor sem fio que estiver em um computador do escritório. Em contextos industriais, a comunicação M2M pode ocorrer entre ferramentas de máquinas, sensores e outros sistemas de informação.

A diferença entre IIoT e M2M

Em virtude de tanto a IIoT (Internet Industrial das Coisas) como a comunicação M2M envolverem comunicação entre entidades em rede, pode haver alguma confusão relacionada a elas.

A distinção é a seguinte: a IIoT refere-se a um sistema mais amplo de dispositivos conectados e comunicantes, enquanto que a M2M refere-se a transações diretas de informações entre dois dispositivos. Assim, por exemplo, um sensor de RPM, que mede a velocidade do fuso de um moinho, enviando dados para um dispositivo de borda, seria um exemplo da comunicação de máquina para máquina, que fornece dados para a Internet Industrial das Coisas.

A principal mudança tecnológica com a M2M é que muitas redes não precisam de um hub central, como ocorre na PLC (Programable Logic Controler) tradicional.

Redes descentralizadas e a comunicação de máquina para máquina

As redes de manufatura estão adotando modelos descentralizados.

Anteriormente, as arquiteturas de rede na manufatura eram centralizadas. Todas as informações geradas no chão de fábrica eram transferidas para um sistema que controlava toda a rede.

Entretanto, as marés estão mudando. A conectividade sem fio é a norma, e as empresas adotaram a nuvem.

As redes descentralizadas são importantes para a comunicação M2M. Em vez de ter que passar um fio do PLC para um dispositivo, um sensor sem fio pode enviar informações diretamente para onde for necessário. Isto pode ser o PLC, mas também pode ser um aplicativo de manufatura, um MES (Manufacturing Execution System), um computador do escritório ou um telefone de um técnico.

M2M e segurança

Ao escalonar dispositivos conectados, a segurança pode ser uma preocupação.

No entanto, os dispositivos M2M geralmente vêm com recursos de segurança integrados, como criptografia. Como a comunicação é apenas entre dois dispositivos, é possível ter criptografia de ponta a ponta, o que significa que alguém que tivesse intenção maliciosa teria que obter acesso diretamente a um dos dispositivos. Assim mesmo, as proteções de senha e os firewalls podem criar uma comunicação M2M segura e robusta. Além disso, se as informações forem enviadas apenas de uma máquina para outra e cada dispositivo não tiver outras conexões, se um usuário mal intencionado obtiver acesso, apenas as informações entre esses dispositivos serão prejudicadas.

Redes, largura de banda e distância

A comunicação M2M está facilitando a conexão entre dispositivos, mas, na manufatura, ainda há fatores importantes a serem considerados pela TI.

Ao considerar um aplicativo M2M, é importante entender que tipo de rede e protocolo governa o produto. Redes comuns como Wi-Fi, Zigbee, Bluetooth, Bluetooth de baixa energia, até RFID (Radio-Frequency Identification), NFC (Near Field Comunication) e rádio podem ser encontradas em dispositivos disponíveis no mercado. Cada uma delas tem um alcance de distâncias e um volume de dados que podem ser enviados por ela. Além disso, o consumo de energia e quantos dispositivos ela pode conectar são detalhes importantes que devem ser conhecidos.

Parte de um plano de transformação digital precisa entender onde, o que e como integrar um dispositivo M2M.

Onde estão recursos, como energia?

Algo tão simples como perguntar se um dispositivo M2M terá acesso a energia é importante. Uma das maiores preocupações com o dimensionamento de dispositivos M2M e IoT é quanto tempo será gasto substituindo as baterias, se um dispositivo não tiver uma fonte de energia.

Qual é a distância entre dispositivos?

Cada protocolo para comunicação sem fio oferecerá uma variedade de distâncias para operação. Saber para onde os dados estão indo pode limitar o dispositivo que pode ser usado com base na capacidade do protocolo ou na frequência em que ele opera. Os protocolos geralmente afetam a quantidade de dados e até onde eles podem ser enviados. Além disso, esteja ciente de que quanto mais dados e/ou quanto maior a distância para onde eles forem enviados, afetará o consumo de energia.

Saiba o que há entre as máquinas. Por exemplo, um roteador Wi-Fi de banda dupla pode transmitir dados mais rapidamente a 5 GHz. Infelizmente, se o aplicativo exigir que o sinal atravesse paredes, tetos, etc., usar a banda de 2,4 GHz, poderá funcionar melhor. Esses detalhes podem ser a diferença existente entre a comunicação M2M funcionar efetivamente ou causar dores de cabeça.

Qual volume de dados será enviado?

Embora a frequência possa ajudar a determinar sua capacidade de atravessar paredes, há outra frequência a ser observada na comunicação M2M; a largura de banda. É assim que dados podem ser transmitidos. Aplicativos como um sensor sem fio podem não precisar de muito, mas uma câmera de transmissão ao vivo que se comunica com outro dispositivo precisará de uma maior largura de banda.

Além disso, cada protocolo terá um limite de quantos sinais poderão ser enviados e recebidos. À medida que os dispositivos conectados forem dimensionados, o ruído poderá se tornar um problema. Certifique-se de que, ao iniciar um plano de manufatura digital, haja uma ideia de como lidar com o ruído entre dispositivos que operam nas mesmas frequências.

Conclusões

A comunicação M2M oferece maneiras de controlar e rastrear os processos de manufatura.

Ela pode ser uma maneira fácil de integrar e adaptar novas tecnologias a máquinas e processos mais antigos. Embora a comunicação entre duas máquinas seja fácil, ela tem muitas opções que podem criar ou interromper os planos de infraestrutura digital de uma empresa. Os detalhes mencionados anteriormente são ótimos lugares para começar uma educação sobre a melhor forma de aplicar a comunicação M2M com sucesso.

A Konitech é uma empresa de consultoria, provedora e integradora de soluções de digitalização da manufatura, Inteligência Artificial e IOT Industrial, com mais de 15 anos de história em implementar novas tecnologias para diversos segmentos industriais, com clientes no Brasil e no Exterior. Fale conosco caso você precise de ajuda para levar a transformação digital à sua fábrica!

Fonte: Tulip

E-BOOK

Este guia é nossa tentativa de convencê-lo de que a primeira palavra na expressão “Cultura Digital” é a mais importante das duas. Adiante, iremos definir e descrever a cultura digital na manufatura; delinear conceitos tecnológicos importantes; e fornecer estratégias concretas para alinhar a visão com a prática. No final, você terá uma base para promover uma forte cultura digital em sua organização e colher os benefícios trazidos por ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *