fbpx
compartilhamento de dados

Por John Klaess

Você compartilharia seus dados com outra empresa?

Francamente, o compartilhamento de dados na manufatura é uma proposta radical. E, no entanto, é uma proposta que tem o potencial de transformar a maneira como criamos valor.

Em um recente white paper, o Fórum Econômico Mundial, com o Boston Consulting Group, descreveu como seria o futuro da manufatura com o compartilhamento de dados.

Aqui estão 10 coisas que você precisa saber.

10 coisas que você precisa saber sobre o compartilhamento de dados

1) O que é o compartilhamento de dados?

O compartilhamento de dados é quando as empresas (seletivamente) disponibilizam seus dados para outras empresas e organizações.

O compartilhamento de dados pode ocorrer entre

  1. Empresas do mesmo ramo de atividades (por exemplo, na indústria farmacêutica eles compartilham melhores práticas)
  2. Processos (por exemplo, técnicos que compartilham dados sobre falha de um ativo específico)

Todas as empresas que participam de uma cadeia comum de valores.

compartilhamento de dados
Uma estrutura para compartilhamento de dados que amadurece na manufatura. Fonte: “Compartilhe para Ganhar”, Fórum Econômico Mundial com BCG.

2) Há mais casos de uso do que você poderia imaginar

Alguns casos de uso de compartilhamento de dados são fáceis de lembrar.

Por exemplo, agrupar dados de qualidade visual para criar um conjunto de treinamento mais robusto para algoritmos de visão computacional. Outros casos são talvez menos óbvios.

O relatório do WEF descreveu cinco áreas principais de compartilhamento de dados.

  • Aprimorar a otimização de ativos − Melhores dados para ajudar o aprendizado de máquina e a IA a melhorar o tempo de atividade, a eficiência e a qualidade;
  • Rastrear produtos ao longo da cadeia de valor − Uma compreensão mais robusta de onde, quando e por quê;
  • Rastrear as condições ao longo de uma cadeia de valor − Para obter melhor visibilidade e qualidade, além de conformidade e relatórios simplificados;
  • Intercambiar características de produtos − Dar vida aos gêmeos digitais;
  • Verificar a procedência − Colaborar para obter visibilidade total da cadeia de suprimentos.

Compartilhamento de dados para melhorar a visibilidade e a eficiência em toda a cadeia de valores. Fonte: “Compartilhe para Ganhar”, Fórum Econômico Mundial com BCG.

3) Os aplicativos são a base do compartilhamento de dados

Existem muitos desafios para o compartilhamento de dados. Entre eles, a interoperabilidade e a coleta de dados têm alta classificação.

Portanto, o relatório argumenta que os aplicativos são a base do compartilhamento de dados. Os aplicativos coletam bons dados para um processo circunscrito. Esse nível de detalhe e escopo é essencial quando se tratar de harmonizar as empresas.

4) Os maiores avanços da Indústria 4.0 exigem compartilhamento de dados

Neste ponto, você provavelmente já ouviu falar sobre a manutenção preditiva e sobre o controle autônomo.

O fato é que nenhum dos avanços mais empolgantes da Indústria 4.0 é possível sem conjuntos de dados verdadeiramente colossais − conjuntos de dados que nenhum fabricante pode acumular sozinho.

Ao compartilhar dados, as empresas podem criar um registro mais robusto de eventos e processos. Com esses dados extras, há mais possibilidades de trabalhar com algoritmos avançados.

5) Compartilhar não significa ponto a ponto (peer-to-peer)

Houve um ponto em que o relatório foi rápido em esclarecer: o compartilhamento de dados não significa a troca ponto a ponto. Os riscos de segurança são muito altos, a vantagem competitiva muito preciosa e a confiança é muito baixa.

Em vez disto, os analistas descrevem um modelo no qual terceiros agem como organizadores e intermediários, garantindo uma troca segura e confidencial. Esses intermediários podem ser grandes empresas de TI, OEMs ou startups com visão de futuro.

Independentemente de quem for o intermediário, ter um terceiro para facilitar o intercâmbio é crucial.

Terceiros são cruciais para garantir a segurança e a conformidade. Fonte: “Compartilhe para Ganhar”, Fórum Econômico Mundial com BCG.

6) Confiança e capacidade técnica são os maiores obstáculos

Você poderia ter adivinhado isso? Embora o potencial do compartilhamento de dados seja transformador, a confiança e a experiência continuam sendo obstáculos.

Por um lado, as empresas são reticentes quanto aos serviços existentes serem seguros o suficiente para garantir a segurança e a conformidade. E muitas organizações não contam com os cientistas e engenheiros de dados necessários para participar de um programa de compartilhamento de dados.

Entretanto, os autores do relatório esperam que isto mude à medida que as grandes empresas percebam o valor do compartilhamento de dados.

7) Os processos em papel não funcionam mais

Isso pode ser óbvio, mas, compartilhar um armazém de relatórios em papel não é bom para ninguém. O relatório sugere que um obstáculo duradouro ao compartilhamento de dados é o lento envolvimento da indústria na digitalização completa de processos em papel.

8) Nem os silos de informação

A manufatura, mais do que muitos setores, sofre com a existência de silos de dados. A implementação de um verdadeiro programa de compartilhamento de dados requer integração horizontal e vertical dos fluxos de dados.

9) O compartilhamento de dados também é um problema empresarial

Das empresas pesquisadas para a elaboração do relatório, muitas delas declararam que a determinação do valor de uma empresa foi um fator limitante.

Estrutura para compartilhamento de dados na manufatura. Fonte: “Compartilhe para Ganhar”, Fórum Econômico Mundial com BCG.

Dados os recursos envolvidos e a dificuldade de quantificar as melhorias nos compartilhamentos de dados anteriores ao programa, muitas organizações lutaram para: 1) defender o valor do programa; 2) definir com precisão os recursos necessários para a sua execução; 3) prever qual será o valor do programa.

Todos estes são fundamentalmente assuntos comerciais que, no entanto, são cruciais para projetar um programa de compartilhamento de dados que crie valor.

10) O valor esperado é real

Os autores do relatório estimam que um limite inferior para o valor do compartilhamento de dados seja US$ 100 bilhões. Espera-se que aproximadamente 80% desse valor venha do desempenho aprimorado dos ativos e da visibilidade da cadeia de suprimentos.

compartilhamento de dados
Valor estimado do compartilhamento de dados. Fonte: “Compartilhe para Ganhar”, Fórum Econômico Mundial com BCG.

Dado que estas são áreas que todas as empresas podem melhorar, quero terminar com uma pergunta:

Como o compartilhamento de dados poderia impactar suas operações?

Leia o relatório completo aqui.

Fonte: Tulip

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *