fbpx
plataformas de aplicativos

Por Jen Dyment

Você encontrou uma plataforma de aplicativos nativa de IIoT (internet das coisas industrial) sem necessidade de programação (no-code), que pode substituir seu MES parcial ou totalmente. Você está entusiasmado com o aumento dos fluxos de trabalho humano, implantações flexíveis e melhorias contínuas −, mas anda precisa fazer a devida diligência e provar o ROI.

Entendemos! As plataformas de aplicativos sem necessidade de programação (no-code) são novas no cenário de tecnologia industrial e de manufatura. Embora tenham sido desenvolvidos para uma era diferente, os Sistemas de Execução de Manufatura (Manufacturing Execution Systems, ou MES) são um meio testado e comprovado de coordenação, execução e rastreamento de processos de manufatura.

Com qualquer novo grande investimento, você poderá ter dúvidas sobre o custo total de propriedade, como:

  • Quanto tempo e investimento monetário isso exigirá?
  • Que tal saber quanto ao longo de sua vida útil?
  • Como esse novo sistema afetará a produtividade?
  • Em quanto tempo veremos o valor desta solução?
  • Vamos depender de fornecedores?
  • Como é o processo de atualização?

Resumimos as respostas a essas perguntas com quatro aspectos diferentes do Custo Total de Propriedade, além do licenciamento de software e hardware:

  • O tempo para valorizar e o custo de implementação
  • O custo da validação
  • O benefício de capacitar trabalhadores
  • O custo de manutenção e das atualizações

Neste artigo, vamos orientá-lo sobre o que considerar ao pensar sobre o custo total de propriedade para plataformas de aplicativos sem código versus soluções MES tradicionais. Em um post de acompanhamento, analisaremos os números e compararemos o custo total de propriedade para plataformas de aplicativos sem necessidade de programação (no-code) versus soluções MES tradicionais (alerta de spoiler: as plataformas de aplicativos são muito mais econômicas!).

O tempo para valorizar e o custo de implementação

MES

As soluções MES tradicionais são rígidas e altamente hierárquicas, exigindo um esforço significativo para planejar e construir um sistema. Grandes organizações podem ver projetos de implementação com duração de vários anos. São vários meses ou anos de tempo sem valor agregado.

Uma linha do tempo da implantação tradicional de um sistema MES
Uma linha do tempo da implantação tradicional de um sistema MES

À medida que a complexidade aumenta, os fornecedores se tornam os guardiões do sucesso dos projetos. Para configurar a solução para satisfazer suas necessidades, os fornecedores costumam cobrar altas taxas por serviços profissionais, pois esses sistemas exigem amplo conhecimento técnico.

Plataformas de aplicativos sem necessidade de programação (no-code)

Onde a abordagem MES é rígida, de cima para baixo e tudo ou nada, a abordagem da implantação sem necessidade de programação é flexível, de baixo para cima e gradual. Usando uma plataforma (no-code), você ainda poderá implementar modelos de dados ou arquiteturas de sistemas, com muito mais flexibilidade. Você poderá começar com alguns aplicativos e adicionar gradualmente mais casos de uso e apresentar mais complexidade ao longo do tempo. Você poderá dimensionar a implantação em seu próprio ritmo e ver o valor em meses, em vez de anos.

Uma linha do tempo da implantação dos aplicativos para dar suporte às operações

Você poderá permitir que aqueles que conhecem melhor o processo sejam os pioneiros no processo de desenvolvimento de aplicativos, treinando-os e habilitando-os com aplicativos padronizados. Alguns clientes da Tulip criam bibliotecas centrais de aplicativos de práticas recomendadas para toda a organização, ao mesmo tempo em que oferecem suporte ao desenvolvimento e configuração de aplicativos independentes. Os Engenheiros de Processo se tornam Citizen Developers, criando aplicativos intuitivos para os colaboradores da linha de frente que apresentam orientações úteis de maneira integrada e coletam dados valiosos.

A flexibilidade dos aplicativos com a estrutura de governança oferece às empresas o melhor dos dois mundos − solução de problemas localizada por especialistas de áreas específicas capacitados com ferramentas sem necessidade de programação e melhores práticas globais e compartilhamento de conhecimentos.

O custo da validação

MES

Os requisitos de validação para uma implementação de sistema abrangente com uma estrutura de dados complexa tornam a adoção do MES um processo longo, exigindo amplo suporte de TI. Aprender o processo, os padrões e o sistema e validá-los apenas estende a adoção ainda mais, atrasando o tempo de valorização da solução.

“Você tem que validar todas as configurações e dados mestres, todos os processos que você colocar no sistema (MES). E isso leva muito tempo; você precisa aprender o padrão e também o sistema. Estamos falando de uns bons seis a doze meses, se você for realmente bom nisso". − Gilad Langer, líder de prática de manufatura da Tulip

Ouça mais de Gilad Langer conforme ele detalhou esse mesmo tópico durante uma recente sessão do painel (em inglês): O Futuro do eBR e eDHR: Plataformas de Aplicativos de Manufatura.

Validar um sistema tradicional em setores regulamentados, como a indústria farmacêutica, é exaustivo. Qualquer correção de bug ou atualização tem o custo de validar o que pode ser um sistema de TI muito complexo, que afeta todas as partes da sua organização.

Plataformas de aplicativos sem necessidade de programação (no-code)

Em vez de precisar validar o sistema completo a cada atualização, você pode validar a plataforma da Tulip e, em seguida, verificar e validar cada aplicativo individual antes de libera-lo para produção. Para ambientes GxP, a Tulip tem um QMS (Quality Management System) auditável e fornece uma versão da plataforma totalmente validada a cada 6 meses.

Abordagem de validação da Tulip

No contexto da validação, os aplicativos baseados nas necessidades de negócios do cliente são considerados configuração e eles são, por si só, a documentação do MBR (Master Boot Record). Você pode acessar esses MBRs da versão controlada dentro da Tulip. Quando são executados, os aplicativos geram um registro de histórico totalmente compatível, totalmente digital e vinculado à versão do MBR.

O benefício de capacitar colaboradores

MES

Em uma pesquisa recente da Gartner, 59% dos entrevistados da indústria de manufatura classificaram “Melhorar a Tomada de Decisão e Competência do Funcionário” como um critério extremamente importante para a justificativa de investimento em MES. (Gartner)

Os sistemas MES rígidos com procedimentos complicados e extenso treinamento necessário apoiam a “tomada de decisão e competência do funcionário” de uma forma muito limitada.

Plataformas de aplicativos sem necessidade de programação (no-code)

Com os aplicativos, você pode criar fluxos de trabalho digitais que orientam engenheiros e operadores nas tarefas − tornando seus trabalhos mais fáceis e melhorando sua produtividade. Os engenheiros de processo podem mudar seu tempo de construção de documentos e planilhas para a construção de aplicativos que informam e coletam dados dos operadores de maneira integrada.

Um painel de aplicativo de monitoramento de máquina da biblioteca da Tulip (pode ser configurado em português)

O custo de manutenção e das atualizações

MES

Manter a agilidade está se tornando cada vez mais importante em todos os setores. Para ser ágil, não é apenas importante ser capaz de atualizar rapidamente a produção, mas também os sistemas que dão suporte à produção.

As soluções MES são normalmente monolíticas, construídas e atualizadas com grande dependência de integradores de terceiros e geralmente exigem sistemas de tíquetes para quaisquer atualizações − grandes ou pequenas. Se você quiser atualizar algo (novo equipamento, máquina, correção de UI, etc.), isto poderá levar semanas. Se você desejar ajustar a estrutura de dados ou adicionar um campo, pode ser necessário esperar meses para que a equipe o inclua na nova versão do MES.

Plataformas de aplicativos sem necessidade de programação (no-code)

Com uma plataforma de aplicativos sem necessidade de programação (no-code), você poderá manter mais conhecimento do sistema internamente e reduzir significativamente os ciclos de lançamento. Dependendo de suas permissões, um engenheiro poderá configurar um novo sensor e adiciona-lo ao sistema em uma única tarde.

Além disso, ciclos de lançamento mais rápidos e frequentes significam inovação rápida e, em última análise, uma solução melhor. Você poderia argumentar que um custo adicional associado aos sistemas MES monolíticos está na perda das oportunidades de inovação.

Conclusão

Como as tecnologias digitais evoluem em um ritmo rápido, pode não fazer sentido para sua organização investir em uma solução rígida e cara com um longo tempo para valorização. Felizmente, a transformação digital traz mais soluções do que o MES.

Agende aqui uma demonstração com a Tulip, representada com exclusividade no Brasil pela Konitech, para saber mais!

Fonte: Tulip

 

E-BOOK

Este guia é nossa tentativa de convencê-lo de que a primeira palavra na expressão “Cultura Digital” é a mais importante das duas. Adiante, iremos definir e descrever a cultura digital na manufatura; delinear conceitos tecnológicos importantes; e fornecer estratégias concretas para alinhar a visão com a prática. No final, você terá uma base para promover uma forte cultura digital em sua organização e colher os benefícios trazidos por ela.

× Como posso te ajudar?