fbpx
ERP de manufatura

Por John Klaess

Os sistemas Enterprise Resource Planning (ERP) estão entre os maiores investimentos que muitas empresas fazem.

Entre licenças, treinamento, implantação, consultores, integrações e manutenção, os investimentos em um ERP podem ser enormes.

Com tanto dinheiro alocado em um único sistema, você precisa ter certeza de que está obtendo dele o máximo de valor possível.

Neste artigo, abordaremos algumas maneiras como nossos clientes integraram a Tulip para complementar seu ERP e aumentar a eficiência de suas operações.

Onde os ERPs são complicados (e quando considerar uma integração)

Os ERPs são sistemas ambiciosos.

O poder deles advém do fato de combinarem muitas funções comerciais, operacionais e financeiras essenciais em um único sistema. Os ERPs de manufatura podem lidar com tudo, desde a geração de ordens de serviço e planejamento de inventário, a integrações CAD e MES e até o gerenciamento da cadeia de suprimentos. E isso é apenas a ponta do iceberg.

Entretanto, como resultado dessa funcionalidade abrangente os ERPs são extremamente complexos. Parte dessa complexidade é atenuada pelo design modular − as funções são organizadas em módulos organizados e as unidades de negócios e os usuários finais têm acesso apenas aos módulos necessários para realizar seu trabalho.

Todavia, a navegação em muitos módulos principais pode ser difícil para o usuário final médio, e, em alguns casos, a complexidade continua sendo uma barreira para atingir o valor máximo.

Algumas queixas comuns que ouvimos de nossos clientes são:

  • O sistema é muito difícil para alguns de nossos colaboradores e o uso atrasa o trabalho deles.
  • A entrada manual de dados é propensa a erros.
  • Mesmo com controles rígidos de permissão, pode ser difícil fornecer às pessoas os módulos necessários, sem expor a elas muito do sistema.
  • Nossos dados de ERP nem sempre estão alinhados com os dados coletados no chão de fábrica.

Portanto, as perguntas que recebemos a seguir geralmente são:

  1. A Tulip se integra ao nosso ERP? (Sim!)
  2. Por que eu deveria considerar essa integração?

(Também verificamos essa hesitação muito justificada: nosso ERP é a nossa única fonte de verdade. Não estamos interessados em nada que possa comprometer esta situação).

Aqui, consideraremos a pergunta número 2, mostrando como a Tulip pode ajudá-lo a obter o máximo valor do seu ERP.

Como a Tulip o ajuda a obter mais valor do seu ERP

Embora haja muitos benefícios em conectar seu ERP aos sistemas do chão de fábrica, aqui estão os que encontramos mais frequentemente:

  • Melhor experiência para usuários finais
  • Integridade aprimorada de dados
  • Gerenciamento e previsão simplificados de estoques
  • Maior alinhamento entre os dados de produção e de back-end

Vamos analisa-los, cada um deles por vez, focando em um caso de um cliente real.

Experiência simplificada para colaboradores da linha de frente na Staymobile

Remanufaturadora de dispositivos móveis, a Staymobile nos impressiona constantemente pelo uso inovador da Tulip. A Staymobile usa a Tulip para:

  • Sincronizar instruções digitais de trabalho para uma força de trabalho distribuída
  • Rastrear inventário e cadeia de custódia para cada reparo
  • Coletar os dados necessários para otimizar a estrutura das células de trabalho.

A adoção de dados levou a Staymobile a obter os melhores padrões de qualidade do seu segmento e a ajudá-la a eliminar o papel de suas oficinas.

Uma maneira de alcançar essa distinção foi integrando a Tulip ao seu ERP, o NetSuite.

Antes da Tulip, os técnicos da Staymobile registravam informações diretamente no NetSuite. Mas a interface era difícil de navegar. Isso levou a tempos de reparo mais lentos e impediu que os técnicos se concentrassem totalmente em seu trabalho.

"Nós queríamos manter os usuários finais longe do ERP, tanto quanto possível", observou o gerente de operações da Staymobile, Brad Nichols.

Ao integrar a Tulip, as informações de reparo e trabalho são sincronizadas automaticamente com o ERP. Isso significa que o sistema funciona para todos que dele precisam, sem complicar desnecessariamente o trabalho dos colaboradores.

“O NetSuite ainda é nosso banco de dados centralizado”, continuou Nichols, “a Tulip apenas facilita o gerenciamento de tudo”.

Integridade aprimorada de dados

A melhor maneira de garantir a integridade dos dados é remover o papel e a entrada manual de dados de um processo. Para a Staymobile, uma integração Tulip e NetSuite ajudou a conseguir isso.

Entretanto, em alguns casos não é possível que a Tulip passe automaticamente todas as informações sobre um processo para um ERP. A Staymobile descobriu que ainda havia situações em que os técnicos precisavam inserir dados diretamente no ERP.

Nesse caso, a Staymobile criou failsafes (sistemas ou planos que entram em operação no caso de algo dar errado, ou que existam para impedir tal ocorrência) em seus aplicativos Tulip. A Staymobile fez isso com ajustes visuais simples, como ajustar o tamanho e a cor do botão. Ela também adicionou notificações pop-up que pediam aos operadores que verificassem os dados que estavam inserindo. Tudo isso reduziu o número de erros existentes nos dados e criou um sistema de atribuição para vincular todas as entradas a um operador específico.

No conjunto, esses dados adicionais coletados permitiram à Staymobile reduzir o número de licenças de ERP adquiridas, o que se traduziu em economia de custos.

Maior alinhamento entre os processos do chão de fábrica e os sistemas de back-end

Se o seu ERP for a sua única fonte de verdade, você desejará garantir que ele contenha exatamente isso: verdade. É por isso que muitos das empresas com quem trabalhamos desejam garantir que o que acontecer em seus processos seja refletido na contabilidade do ERP.

Essa fonte da verdade pode ser especialmente difícil de manter em ambientes de alta variabilidade.

Essa foi a situação em que a Rich Brilliant Willing, uma empresa provedora de soluções de iluminação de ponta, se encontrou quando integrou a Tulip e seu ERP, que também usava o NetSuite.

“Nosso processo pode ser desafiador”, disse Dave Staehle, gerente de produção da RBW, “temos muita personalização e mais de 1000 diferentes SKUs (unidades de estoque). Em um único dia, podemos fabricar mais de 14 tipos diferentes de acessórios. São muitas peças móveis, e muitas delas a rastrear”. Muitas vezes, as empresas usam a Tulip para criar uma interface mais simples para trocar informações com o ERP.

“Nós queríamos adicionar mais monitoramento de dados ao nosso processo de manufatura”, observou o diretor de operações Bill Baker, sobre a decisão de integrar a Tulip: “Você conecta a Tulip ao NetSuite e a Tulip passa a ser a interface do usuário, as ferramentas para a nossa equipe fazer o que for necessário”.

Consequentemente, os colaboradores de chão de fábrica agora têm uma única ferramenta para passar informações de e para bancos de dados de back-end. A Tulip permite uma camada adicional de visibilidade da produção para os dados existentes em seu ERP.

Além disso, a Tulip gera automaticamente ordens de serviço para os operadores, puxando a lista de materiais relevantes e criando SOPs com os dados armazenados no NetSuite.

"A Tulip é excelente para facilitar informações, para rastrea-las e retornar ao banco de dados NetSuite", disse Staehle.

Como resultado, as informações se movem perfeitamente entre diferentes processos de chão de fábrica e sistemas centralizados de dados.

Conclusões

Total clareza: as integrações com ERPs são complicadas.

Isto não é algo que recomendamos para todos e, em alguns casos, não é necessário. Dito isto, nossos clientes que integram a Tulip ao seu ERP estão felizes por terem feito isso.

Eles descobriram que conectar a Tulip a um ERP não é apenas sobre facilitar a vida no chão de fábrica. Trata-se de maximizar o valor que você obtém de um de seus maiores investimentos: seu ERP.

Se você tiver alguma dúvida sobre como esse tipo de integração pode parecer para você, entre em contato conosco.

Fonte: Tulip

E-BOOK

Este guia é nossa tentativa de convencê-lo de que a primeira palavra na expressão “Cultura Digital” é a mais importante das duas. Adiante, iremos definir e descrever a cultura digital na manufatura; delinear conceitos tecnológicos importantes; e fornecer estratégias concretas para alinhar a visão com a prática. No final, você terá uma base para promover uma forte cultura digital em sua organização e colher os benefícios trazidos por ela.