fbpx
combater o coronavírus

Por John Klaess

Atualmente, as notícias são bastante perturbadoras.

Portanto, é importante perceber quando coisas boas estão acontecendo − quando as pessoas se adiantam para fazer o que for necessário para ajudar o bem maior.

Uma tendência que vimos nas últimas semanas tem sido a mudança da produção das empresas para contribuir, ajudando a combater o coronavírus.

Seja dedicando um pouco da capacidade extra, ou uma folga na cadeia de suprimentos, ou fazendo uma mobilização total, essas empresas estão ajudando as autoridades de saúde pública a obter os equipamentos de que precisam.

Passando de carros para mascaras faciais

A BYD Co., fabricante chinesa de carros elétricos, desviou uma porcentagem significativa de seus recursos para produzir máscaras faciais protetoras.

Segundo a Bloomberg, a BYD Co. está produzindo agora mais máscaras faciais do que qualquer outra empresa do mundo, com planos para aumentar sua capacidade.

Esta é uma intervenção muito necessária durante uma crise em que os profissionais médicos são ameaçados por uma "terrível escassez de máscaras".

A NPR informa que outras empresas estão seguindo o exemplo. Na China, empresas cujos produtos normais variam de iPhones a tênis estão agora contribuindo para atender à crescente demanda mundial por máscaras.

Em 22 de fevereiro, a China informou que ela sozinha está produzindo até 54,8 milhões de máscaras por dia.

Das coisas difíceis para as coisas saudáveis

Se você esteve recentemente no supermercado ou na farmácia local, é provável que tenha tido dificuldade para encontrar álcool gel para as mãos.

Juntamente com as máscaras, o álcool gel para as mãos é uma ferramenta importante para evitar a propagação de infecções. Assim, as destilarias nos Estados Unidos e no Brasil estão começando a ajudar.

A CNN relata que as empresas estão usando o etanol que produzem no local para fazer pequenos lotes de álcool gel para as mãos. Muitas delas até estão doando esses produtos. Outros estão fabricando álcool gel de alta eficácia e doando-os para empresas que precisam higienizar superfícies com frequência.

Da mesma forma, a gigante global de luxo LVMH está mudando a produção de fragrâncias em algumas de suas instalações para fabricar álcool gel para as mãos.

Esforço multinacional para fabricar ventiladores pulmonares

Os ventiladores pulmonares são cruciais para manter vivos os pacientes com os piores sintomas do COVID-19, o novo coronavírus.

Enquanto as agências internacionais coordenam uma realocação maciça de ventiladores pulmonares existentes para onde eles são mais necessários − um feito de lógica e colaboração – as empresas estão se esforçando para ajudar.

Enquanto as soluções permanecem lentas em alguns países, gigantes da indústria como Dyson, Airbus, GM e Ford estão ativamente mudando a produção para fazer ventiladores pulmonares.

Além dos grandes empresas, muitas organizações estão coordenando ativamente o aproveitamento uma brecha para produzir ventiladores pulmonares de código aberto.

Peças de impressoras 3D

A escassez de máscaras faciais e de ventiladores pulmonares é exacerbada por um simples fato: ambos são surpreendentemente difíceis de fazer. Isso é verdade nos bons tempos e é especialmente verdade agora.

À luz da disrupção da cadeia de suprimentos e da escassez de peças, instalações com experiência em fabricação aditiva estão produzindo as peças necessárias.

Na Itália, grupos de voluntários estão imprimindo válvulas que são cruciais para manter os ventiladores pulmonares funcionando, e na Espanha, o BCN3D prometeu uma fazenda completa de impressoras para a impressão de componentes médicos.

Nos EUA, a Formlabs está coordenando ativamente sua comunidade para encontrar voluntários com capacidade e mobilidade extras, a fim de preencher lacunas cruciais no fornecimento.

Fonte: Tulip

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *