fbpx
fábrica conectada

Por Natan Linder

Uma das grandes promessas da Indústria 4.0 (uma frase que prometo usar apenas uma vez neste post) é o aumento da conectividade nas operações de manufatura.

A convergência de várias inovações tecnológicas criou redes onde havia silos, feedback onde havia silêncio e dados onde havia mistério.

Há um nome para esse tipo de operação em rede: fábricas conectadas.

Mas quando falamos de fábricas conectadas, geralmente tratamos dos tipos de tecnologias que permitem a conectividade. Ou melhor, defendemos a conectividade como um fim em si mesmo, algo que é feito por si só.

Na minha observação, a conectividade não é apenas sobre tecnologia. Fundamentalmente, a fábrica conectada tem como objetivo capacitar os trabalhadores a desenvolver seu trabalho. Trata-se de equipá-los com as ferramentas necessárias para que eles mesmos transformem suas operações.

Eis aqui o porquê.

O que é uma fábrica conectada?

A "fábrica conectada" é um termo abrangente que descreve como os avanços da IoT, computação de borda e sensores inteligentes melhoram a visibilidade e o controle no chão de fábrica.

Não precisamos nos perguntar o que está acontecendo quando uma máquina está em funcionamento, porque agora temos a infraestrutura de comunicação e as técnicas analíticas para transformar dados operacionais em insights. Não precisamos nos perguntar o que os operadores estão fazendo na linha, porque os aplicativos de manufatura e as interfaces homem-máquina bem integradas nos ajudam a entender o componente humano da produção.

Mas, a definição de fábrica conectada é menos interessante do que as possibilidades que ela permite.

Ela permite que os seres humanos tomem decisões informadas em tempo real. Melhora a visibilidade de todo o fluxo de valor, possibilitando identificar e direcionar melhorias no processo. E cria fluxos de trabalho que correspondem ao funcionamento das fábricas.

Então, isso significa que os funcionários não estão apenas conectados digitalmente. Na realidade, eles também têm a capacidade de aproveitar seus anos de experiência na manufatura para moldar a produção de maneira significativa e impactante.

A transformação digital é uma iniciativa humana

Aqueles que estiverem mais próximos dos processos de manufatura os entendem melhor.

A inovação digital não está colocando um monte de sensores em uma fábrica e pronto. Na sua essência, a conectividade é um meio para atingir um fim.

Em vez disso, está dando aos funcionários a capacidade de transformar a manufatura de baixo para cima.

fabrica conectada
Capacitar os funcionários com ferramentas digitais no chão de fábrica permite que eles tomem decisões baseadas em dados para fazer seus próprios processos evoluírem.

Pense nisso. A transformação é um processo contínuo. Não pode ser algo que acontece de vez em quando, e então, uma fábrica é transformada. A natureza da transformação é tal que deve ocorrer em incrementos e deve ocorrer em todos os níveis de uma organização.

Afinal, são as pessoas que realmente criarão mudanças, são elas que vão identificar áreas que exigem melhorias e são elas que vão operar e inovar através das tecnologias digitais.

Está gostando desse post? Então, assine a nossa newsletter!

Como a fábrica conectada empodera os funcionários

No decorrer do tempo, o trabalho de manufatura se transformou. De repente, os operadores foram encarregados de concluir as montagens que eram complexas demais para os robôs.

Os engenheiros tiveram que pedir emprestado os kits de ferramentas de desenvolvimento de software e ciência de dados. A tecnologia de manufatura foi projetada para a TI, não para os trabalhadores do chão de fábrica.

Na fábrica conectada, os funcionários da linha de frente agora podem se encarregar de fazer suas próprias melhorias. Depois que os trabalhadores começam a entender a tecnologia digital, eles começam a pensar sobre ela. Este é o momento mais emocionante. Quando os trabalhadores pensam em uma tecnologia, eles não estão apenas replicando seus processos analógicos com ferramentas digitais. Em vez disso, eles estão começando a reinventar seu trabalho − reinventando o que é possível − trabalhando em um meio digital.

Uma das partes mais emocionantes da construção da Tulip foi ver como nossos clientes criam aplicativos que não imaginávamos ou configuravam casos de uso que não tínhamos previsto.

É assim que vejo o empoderamento.

O empoderamento digital é quando os funcionários podem assumir o controle de suas operações e repensar o que é possível fazer.

Fonte: Tulip

E-BOOK

Augmented Worker

Potencializando as Pessoas na Indústria 4.0

Este guia apresentará o aprimoramento da manufatura – as novas tecnologias, seus casos de uso e seus princípios. Definiremos o que significa extensão no contexto da manufatura, explicaremos por que a manufatura precisa ser aprimorada agora e avaliaremos as diferentes tecnologias e aplicações que estão ampliando a atividade dos trabalhadores no chão de fábrica, no cenário atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *