fbpx
IT e OT

Por John Klaess

Com o surgimento da Internet das Coisas Industrial (IIoT), os fabricantes agora falam sobre fábricas conectadas.

Essa conexão levou a alguns desenvolvimentos inesperados no chão de fábrica. Em particular, um deles se destaca. Os domínios anteriormente separados de Operational Technologies (OT) e Information Technologies (IT) são cada vez mais o mesmo.

Os analistas chamam isso de convergência IT/OT, sinalizando que há menos distância do que nunca entre os sistemas que controlam os processos de manufatura e os que controlam o armazenamento, as comunicações e a computação de dados.

Aqui, explicaremos o que é a convergência IT/OT, o que ela significa para você e compartilharemos algumas sugestões para aproveitar ao máximo sua fábrica conectada.

A definição da convergência IT/OT

A convergência IT/OT é a integração de sistemas de manufatura que controlam eventos e processos físicos com hardware e software de back-end para transmitir e processar informações.

IT e OT
Operational Technology (OT) e Information Technology (IT) estão convergindo e se tornando cada vez mais as mesmas. O primeiro lugar para sentir esses efeitos na manufatura é o chão de fábrica.

Para entender o que significa a convergência IT/OT neste momento específico, é importante conhecer como as tecnologias de manufatura foram classificadas historicamente.

OT na manufatura

A tecnologia operacional (OT) na manufatura inclui os sistemas de hardware e software que controlam e executam processos no chão de fábrica. Em português também são denominados por algumas empresas como TA – Tecnologias de Automação.

Historicamente, a OT incluiu sistemas como MES, SCADA, PLCs e CNCs.

Embora esses sistemas possam ser extremamente sofisticados, nem sempre eles estavam em rede. Portanto, embora os sistemas mecânicos de OT na manufatura tenham adotado rapidamente as tecnologias digitais, geralmente eles não eram integrados a um sistema computadorizado mais amplo.

Dada a amplitude da OT na manufatura, geralmente a fábrica moderna inclui muitas máquinas, dispositivos e mecanismos de controle que operam em relativo isolamento e se comunicam usando uma variedade de protocolos de nicho. Isso criou silos, dificuldades de comunicação e pontos cegos nos processos.

Veja como a TechTarget resume a OT em contextos industriais como manufatura: “diferente da tecnologia da informação (IT), a tecnologia que controlava as operações nessas indústrias não estava conectada em rede. Muitas das ferramentas para monitorar ou fazer ajustes em dispositivos físicos eram mecânicas e aquelas que tinham controles digitais usavam protocolos proprietários e fechados”.

IT na manufatura

Por outro lado, a tecnologia da informação (IT) refere-se à infraestrutura de informações em uma determinada operação. Ele abrange a arquitetura da rede e todos os componentes de hardware e software necessários para o processamento e armazenamento de informações.

A IT inclui hardware como laptops e servidores, bem como software de sistemas corporativos, como ERPs, programas de gerenciamento de inventário e outras ferramentas relacionadas aos negócios.

Rastreando a convergência do Operacional e do Informacional: um caso de integração gradual

Nos últimos dez anos, a distância entre tecnologia operacional (OT) e tecnologia da informação (IT) tornou-se cada vez menor.

Em parte, isso pode ser atribuído à conectividade onipresente da Internet e, principalmente, da Internet sem fio.

Cada vez mais, os componentes de OT podem se comunicar diretamente com outras máquinas (máquina a máquina), bem como com servidores centralizados. Em vez de existirem em silos, eles conseguiram transferir informações pela rede de IT. Isso foi feito de várias maneiras, incluindo funcionalidade nativa, gateways e conversores de protocolo e integrações mais completas com os tradicionais sistemas de IT.

IT e OT
O uso de sensores para o monitoramento das máquinas significa que os fabricantes com equipamentos legados e analógicos ainda podem desbloquear a fábrica conectada.

Além disso, um maior número de dispositivos e sensores surgiu para facilitar a conectividade. Com sensores leves e prontos para conexão, os fabricantes podem colocar em rede seus equipamentos legados e analógicos.

Com a adoção da nuvem pelos fabricantes, um número maior de máquinas, dispositivos e processos se tornou parte de uma única rede centralizada.

Quando falamos sobre sistemas modernos da IoT, de muitas maneiras estamos falando dessa convergência entre dois domínios anteriormente distintos.

De fato, muitos dos avanços mais empolgantes da Indústria 4.0 são possíveis justamente porque os sistemas que executam funções de fabricação estão mais integrados do que nunca à infraestrutura de informações.

Por que a convergência é importante

Para muitos fabricantes, essa convergência tem sido simplesmente uma realidade.

O termo “convergência IT/OT” simplesmente significa algo que muitos fabricantes experimentaram em primeira mão ao longo dos anos, talvez sem perceber.

Com o tempo, essa convergência mudou a maneira como os fabricantes trabalham. Cada vez mais, os engenheiros precisavam executar o trabalho tradicionalmente feito por desenvolvedores de software, integradores de sistemas e, por sua vez, especialistas em redes. Por sua vez, os especialistas em IT tiveram que cada vez mais dedicar grande parte de seu trabalho com equipamentos e sistemas no chão de fábrica.

IT e OT
A convergência permitiu grandes melhorias dos processos de fabricação.

Como os sistemas de manufatura se casavam com os mundos da IT e da OT, os colaboradores do chão de fábrica precisavam melhorar suas habilidades nessa nova área. Esta não foi uma tarefa fácil. Como observam os autores da Digitalist, especialistas em cada área "possuem [possuíam] vasta experiência e competência em seus próprios domínios". No mínimo, os especialistas em manufatura se viram trabalhando mais próximos dos seus colegas de IT.

A convergência é importante porque mudou a natureza do trabalho de manufatura, gradualmente, mas com segurança. É importante porque criou oportunidades para melhorias de ordem de magnitude no processo de manufatura para aqueles que estiverem dispostos a agir.

IT e OT
A fábrica conectada é viável para fabricantes de todos os tamanhos. A convergência IT/OT dá passos mais tangíveis para se ter uma fábrica conectada.

Criando valor na fábrica conectada

Existem várias maneiras dos fabricantes tirarem proveito das redes e da conectividade de ferramentas de manufatura e de ativos. Compreender esse fenômeno é essencial para tirar proveito dele.

A convergência para simplificar o controle de processos

A convergência tornou possível criar controles mais holísticos sobre os sistemas de manufatura. Com os recentes avanços das plataformas de aplicativos de manufatura, isso pode ser alcançado sem a criação de sistemas volumosos e imutáveis do tipo MES.

Quando a IT e a OT operavam como sistemas separados, havia menos meios para controlar os processos de manufatura. Os sistemas de controle de domínio exigiam tecnologias projetadas para uma única finalidade, que igualmente demandavam conhecimentos de domínio para operar. Isso significava que os engenheiros industriais se encontravam no comando de muitos sistemas singulares sem sobreposição significativa.

Um resultado da convergência IT/OT é que os sistemas de IT têm um maior papel a desempenhar na facilitação e gerenciamento de processos no chão de fábrica. Agora, os engenheiros de fabricação podem tirar proveito da conectividade dos dispositivos para criar redes novas e ad-hoc no chão de fábrica.

Como há maior conectividade entre máquinas, sensores e seres humanos, é possível criar processos ágeis e mais responsivos, com menos investimento na infraestrutura local. O resultado é qualidade, eficiência e controle aprimorados.

As fábricas conectadas criam visibilidade em tempo real

Como resultado do aumento da conectividade, os sistemas de manufatura criam uma enorme quantidade de dados.

Devido à convergência IT/OT, os fabricantes podem começar a transformar os dados gerados por máquinas e processos em valiosos insights.

Anteriormente, agregar os dados gerados pelas máquinas nos processos exigia um esforço manual significativo, além de extrair informações de muitas fontes diferentes. Agora, o fato de máquinas, gateways e sensores estarem todos conectados ao sistema de informações centralizado, dados de muitas fontes podem ser combinados em uma imagem holística das operações.

O resultado é ter uma visibilidade dos processos em tempo real e uma compreensão mais completa dos processos de manufatura.

Aplicativos personalizáveis permitem visibilidade do processo em tempo real no chão de fábrica.

Os seres humanos são mais impactantes do que nunca

Quando falamos da inovação digital, quase sempre nos referimos sobre novas tecnologias e automação.

Mas faríamos igualmente bem se focássemos também nas pessoas que trabalham no chão de fábrica.

IT e OT
A convergência IT/OT significa que os seres humanos têm o poder de melhorar seu trabalho nas fábricas através de insights orientados por dados.

Em vez de substituir os seres humanos, a convergência da tecnologia operacional e da informação deu aos trabalhadores a capacidade de fazer mais e de ir além com suas melhorias.

Agora, os trabalhadores têm a oportunidade de entender processos e projetar soluções que seriam impensáveis há 5 anos. Com a tecnologia conectiva aprimorada, os fabricantes agora podem colocar fábricas brownfield online. Eles podem criar sistemas que aproveitam ao máximo a conectividade homem-máquina e máquina-máquina, que caracterizam os sistemas cyber-físicos.

Nenhuma necessidade de codificação como chave para o sucesso da fábrica conectada

Com o aprimoramento da rede no chão de fábrica, a pergunta passa a ser: "Como posso aproveitar ao máximo essa conectividade aprimorada"?

Uma resposta é projetar aplicativos sem a necessidade de codificação para seus processos de fabricação exclusivos. Os aplicativo que não precisam de codificação para serem criados cumprem a promessa da convergência de IT/OT, conectando dispositivos de IoT, sensores, máquinas e seres humanos no chão de fábrica. Eles são construídos tendo em mente os seres humanos e fornecem uma maneira fácil de melhorar a qualidade, a eficiência e muito mais.

Eles criam uma camada intermediária entre maiores sistemas de manufatura e corporativos (por exemplo, MES e ERP) e processos do chão de fábrica.

Com aplicativos que não precisam de codificação para serem criados, você pode agregar dados de várias máquinas, departamentos ou processos em um único painel para obter visibilidade dos processos em tempo real. Você pode conectar linhas de montagens manuais a dispositivos da IoT para obter uma maior qualidade. E você mesmo pode criar aplicativos que orientam os operadores em tarefas complexas.

Os aplicativos que não precisam de codificação para serem criados permitem que os fabricantes tenham mais autonomia e os personalizem para se ajustarem a processos de manufatura exclusivos e usem a convergência IT/OT para ter uma fábrica conectada.

Tudo isso é possível precisamente devido à convergência entre os sistemas de IT e OT.

Você está procurando saber como criar o máximo valor com sua fábrica conectada? Você está curioso para saber por onde começar? Entre em contato conosco hoje mesmo para obter uma consulta gratuita com um de nossos especialistas.

Fonte: Tulip

 

E-BOOK

Augmented Worker

Potencializando as Pessoas na Indústria 4.0

Este guia apresentará o aprimoramento da manufatura – as novas tecnologias, seus casos de uso e seus princípios. Definiremos o que significa extensão no contexto da manufatura, explicaremos por que a manufatura precisa ser aprimorada agora e avaliaremos as diferentes tecnologias e aplicações que estão ampliando a atividade dos trabalhadores no chão de fábrica, no cenário atual.
One Trackback:

[…] Quando entrevistados por consultores, os engenheiros esboçaram uma mensagem recorrente: "A TI não entende os problemas de OT (operational technology)”! […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *