fbpx
plataforma IIoT

Por John Klaess

O mercado das plataformas IIoT está lotado.

Tentar descobrir qual plataforma é a ideal para você pode ser enlouquecedor. Este guia é nossa tentativa de tornar o processo de compra o mais direto possível.

Por mais que tenhamos um interesse nesse jogo, tentaremos ser o mais imparcial possível (isto é mais fácil falar do que fazer!). O ponto é que suas necessidades são suas necessidades e uma solução deve poder satisfazê-las.

Aqui estão sete perguntas que recomendamos que você faça antes de comprar uma plataforma IIoT.

1) O que você está realmente tentando fazer?

Vamos começar pelo nível mais alto.

Em primeiro lugar, pergunte a você mesmo: por que você quer uma plataforma IIoT? Por que uma plataforma é uma escolha melhor do que um MES, um pacote SaaS pronto para uso ou qualquer uma das inúmeras soluções existentes no mercado?

Em outras palavras, o que você está realmente tentando fazer?

A única maneira de responder esta pergunta é fazer um honesto inventário dos seus objetivos. Então:

  • Quais dados você deseja coletar?
  • Quais são seus atuais recursos digitais?
  • Onde existem grandes áreas que poderão ser melhoradas?
  • Quais melhorias farão mais diferença?
  • Onde você ainda está usando papel?
  • Com que rapidez você precisa de uma solução?
  • Quais dispositivos ou sensores você precisará conectar?
  • Pessoas, máquinas ou ambas?

Este exercício poderá parecer trivial, mas ele poderá aproxima-lo bastante da solução certa.

2) A plataforma fornecerá os dados necessários? Quando você precisar deles?

Todos nós já ouvimos dizer que os dados são rei, rainha e castelo – isto é a base do seu negócio e a chave da sua estratégia.

Mas nem todas as plataformas fornecerão os mesmos dados.

Muitas empresas querem começar pelos frutos mais fáceis de serem colhidos. Eles podem ser leituras em tempo real da OEE em uma planta, ou podem ser medidas objetivas do tempo de etapas e ciclos necessários para fazer montagens discretas.

De qualquer forma, você precisa garantir que as plataformas que você estiver considerando possam realmente fornecer os dados de que você mais precisa.

Aqui você também poderá perguntar se há maneiras de visualizar seus processos em tempo real ou se você precisará extrair os dados e analisá-los você mesmo.

Uma imagem completa.

Aqui ainda há mais uma coisa a ser levada em consideração.

Se você fizer novamente a pergunta − de quais dados eu mais preciso? − você estará levando tudo em consideração?

Muitas das empresas com quem trabalhamos estão começando a medir a OPE, ou a eficácia geral do processo. A OPE é uma perspectiva detalhada de todas as suas operações: desempenho humano, desempenho das máquinas, design da célula de trabalho e muito mais.

Portanto, se todas essas áreas operacionais forem importantes para você, verifique se as plataformas que você está considerando poderão satisfazê-lo.

3) Quem a usará?

As tecnologias não funcionam sozinhas. É por isso que alguns das empresas manufatureiras digitais de maior sucesso do mundo dedicam unidades de negócios inteiras ao treinamento de trabalhadores e à cultura digital.

É importante perguntar desde o início: "Quem usará esta plataforma”?

Isto é mais fácil de perguntar do que de responder. Vamos considerar alguns dos motivos pelos quais "quem" é realmente uma questão complicada.

Você poderá começar considerando quem serão os usuários finais. Quem será a pessoa que faz interface com a tecnologia no chão de fábrica?

Além do usuário final, quem mais usará a plataforma? Todos em sua operação irão interagir com ela?

Operadores? Engenheiros de processo? Gerentes? TI? Diretoria? Alguns, mas não todos estes? Todos os acima mencionados? Uns agora, outros mais tarde?

Para muitas empresas com os quais trabalhamos, a resposta é "Todas as opções acima mencionadas". Entenda por que isto pode ir muito longe na explicação sobre o valor das plataformas.

As plataformas fazem muitas coisas. É isso que as diferencia das soluções de casos de uso único. Assim, as plataformas se cruzam com muitas diferentes funções de trabalho em uma empresa.

Uma plataforma que trabalha com toda a hierarquia

Em nossa experiência, é comum que os operadores usem a plataforma enquanto realizam o trabalho árduo de montagem, trocas e de garantia de qualidade. Ao mesmo tempo, os engenheiros estão projetando aplicativos e modificando suas soluções como parte da melhoria contínua de rotina. Em seguida, a gerência examina os dados para tomar decisões estratégicas de negócios. E os executivos consideram qual papel a plataforma desempenhará em nível regional, ou como parte de uma estratégia digital abrangente.

Portanto, ao avaliar soluções, tente identificar com precisão quem realmente usará a plataforma.

Quem parte 2: permissões

Eu já mencionei que "quem?" era uma pergunta complicada. Aqui está outro lugar onde isto fica complicado. Se várias funções de trabalho usarem sua plataforma IIoT, como você garantirá que a solução escolhida será consistente e segura.

Portanto, aqui está um novo conjunto de perguntas que você deve considerar fazer:

  • Como serão controladas as permissões?
  • Com que frequência a TI precisará ser envolvida?
  • Quanto a plataforma será onerosa para os administradores?

4) Começar será muito difícil?

As plataformas estão ganhando força porque elas são significativamente mais fáceis de usar do que as soluções MES existentes.

Assim mesmo, você precisará perguntar se será muito difícil começar.

Algumas plataformas IIoT estão bem próximas do plug-and-play. Após definir o escopo e o projeto de uma solução com o fornecedor, você poderá colocar sua plataforma em funcionamento em menos de uma semana.

Para outras plataformas, este não é o caso.

Alguns fornecedores de plataforma podem exigir um processo de design de 6 meses, outros 6 meses para criar e outro ano para comprovar o valor. Você dispõe de dois anos (e dois anos de orçamento) para definir uma solução?

Para algumas empresas, a resposta pode ser sim, e os resultados podem valer a pena.

Se agilidade e tempo para melhor avaliar forem mais importantes, garanta que o seu fornecedor possa se mover no seu ritmo.

5) Qual será o grau de dificuldade para fazer atualizações?

Isto se refere ao principal objetivo de valor das plataformas em relação aos sistemas existentes.

As plataformas devem ser fáceis de atualizar. Os engenheiros da linha de frente e outros “desenvolvedores que não são programadores” devem poder fazer atualizações dos fluxos de trabalho e aplicativos, conforme o necessário.

6) Ela fará tudo que você precisa que ela faça durante 10 anos?

Isto é importante.

A manufatura está mudando a uma velocidade sem precedentes. Você poderá saber exatamente como mudarão suas operações na próxima década. É igualmente provável que haja algumas surpresas ao virar a esquina.

O que você deverá evitar é uma situação na qual você precise comprar uma nova plataforma ou solução a cada ano. Seu tempo é valioso demais para ser gasto em um ciclo permanente de compras e, em seguida, parar no gerenciamento de uma pilha de softwares.

Portanto, é importante perguntar se uma determinada solução poderá crescer e mudar com você, e não o contrário.

7) Ela funcionará bem com seus sistemas já existentes?

Algumas plataformas aspiram ser o único sistema que você deve usar. Outras se contentam em fornecer uma solução para um problema quase circunscrito. Outras ainda se destacam, enfrentando muitos problemas e se dão bem com sistemas que tratam daqueles problemas que elas não resolvem.

Para você, isso significa verificar se uma plataforma poderá ou não ser integrada ao seu sistema, quer se trate de ERP, PLC, QMS ou MES, que não funcionam bem com outros sistemas, e que lhe causarão apenas mais problemas para no futuro.

Conclusões

Nunca houve tantas opções de plataformas IIoT como agora.

Embora isto possa tornar a experiência de compra frustrante, ela também deverá ser empolgante. Porque isso significa que existem mais maneiras do que nunca de aumentar os lucros e reduzir o trabalho desnecessário.

Se você começar a fazer as perguntas aqui descritas, você estará no caminho certo para escolher uma plataforma que funcionará para você.

Você está pensando em construir sua própria plataforma ou aplicativos internamente? Saiba mais sobre este problema de construir ou comprar aqui.

Fonte: Tulip

E-BOOK

Augmented Worker

Potencializando as Pessoas na Indústria 4.0

Este guia apresentará o aprimoramento da manufatura – as novas tecnologias, seus casos de uso e seus princípios. Definiremos o que significa extensão no contexto da manufatura, explicaremos por que a manufatura precisa ser aprimorada agora e avaliaremos as diferentes tecnologias e aplicações que estão ampliando a atividade dos trabalhadores no chão de fábrica, no cenário atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *